First page of the Bricolage archive

Bricolage de chaminés: descubra como construir a sua própria chaminé

Posted by Catalina Daisy on Julho 23, 2016 with No Comments

Construção de chamnié

As chaminés são fundamentais para produzirem uma ventilação adequada, colocando as cinzas e os gases gerados pelas lareiras para fora das casas. Elas podem ser feitas de muitos materiais como alvenaria, tijolo ou metal. Também é fundamental que toda chaminé tenha presa a si fornalhas e fornos capazes de queimar qualquer combustível. Além disso, para que tenha um funcionamento desejável, é necessária uma limpeza de chaminés recorrente.

Mais importante do que o material escolhido para a sua chaminé, é que ela seja construída de forma adequada para se evitar danos à casa e à saúde das pessoas que ali residem. Veja algumas dicas que separamos para você que está necessitando construir a sua chaminé:

Planeje a construção

Antes de iniciar a construção é muito importante que você se atente aos códigos e regulações do setor, pois existem diretrizes nacionais que balizam este tipo de construção.

Em geral, esses documentos fazem uma série de orientações como a altura mínima e a ‘folga’ necessária em relação aos materiais combustíveis, caso ela seja construída na parte interna ou através das paredes de uma morada.

MaterialEscolha o material mais adequado para a sua chaminé

Como dissemos no início deste texto, existem muitos materiais dos quais podem ser construídas, porém é fundamental que você escolha pelo que seja mais indicado para o seu caso.

Em geral, o material mais usado é o tijolo, seguido pela alvenaria, mas, atualmente, as opções em metal também tem sido procuradas.

Caso opte por fazê-la em tijolo ou alvenaria é importante que você tenha uma ideia das dimensões da sua construção para poder, enfim, calcular a quantidade de materiais que será usada. Em geral, as chaminés de alvenaria e tijolo costumam ter uma espessura mínima de 10 centímetros.

Se você optar pela chaminé de metal, também deverá ficar atento as medidas, principalmente a distância entre o forno (ou a lareira) e o local onde a peça sairá na casa.

Quais resíduos serão descartados pelas chaminés?

Esse é um item muito importante e que precisa ser considerado, pois irá determinar se a estrutura irá necessitar de vários equipamentos ou de apenas um.

A depender do tipo de resíduo descartado é possível construir chaminés para vários equipamentos e conectá-los a um condutor de descarga com dimensões capazes de suportar a demanda. Ou seja, é possível combinar, por exemplo, uma chaminé que descarte gases com uma fornalha que funcione a combustível, mas não a uma lareira que queime madeira.

Além disso, lembre-se de que o formato dos condutores não pode variar quando as peças estiverem a menos de 15 centímetros da superfície.

Qual a largura do condutor da chaminé?

Agora que você já sabe quais equipamentos serão associados à estrutura é importante definir os tipos e larguras das tubagens. Em geral, as chaminés de alvenaria costumam apresentar tubagens rectangulares ou quadradas, enquanto as de metal são redondas.

Cada uma dessas tubagens possui diferentes tipos de diâmetro, que irá variar de acordo com o tipo de resíduo que será descartado.

De modo geral, as chaminés de alvenaria costumam ser alinhadas com azulejos de cerâmica ou condutores de argila que são instalados no centro da peça de tijolo com o vão entre as partes externas e internas. Contudo, também é possível utilizar-se de tubos de aço inoxidável ou de concreto, a depender do tipo de resíduo que será descartado.

Certifique-se de comprar todo o material necessário

A lista de materiais usados poderá variar de acordo com o tipo de chaminé e resíduo a ser descartado, mas, antes de iniciar com a construção, é preciso ter todos os itens à mão.

Lembre-se que, quando for instalar uma chaminé de alvenaria, você irá precisar de outros itens além do tijolo, como argamassa, vergalhões de suporte, juntas, tampa e ferramentas.

Já para as chaminés de metal é necessário dispor da estrutura pré-fabricada da chaminé, braçadeiras, seções individuais e juntas, além de uma seção adequada de chaminé caso vá passar por uma parede ou pelo teto, de modo a evitar problemas como incêndios.

Inicie com a câmara de fumagem

Toda construção deverá iniciar-se de cima para baixo. Em casos de chaminés de alvenaria, inicie a construção logo acima da lareira e utilize um tijolo que seja semelhante, para que a construção siga um mesmo padrão.

Para construções com tijolos, use a argamassa diluída na água. Lembre-se de colocar uma quantidade suficiente de argamassa em cada tijolo. Pode-se, inclusive, colocar um pouco a mais de argamassa, pois isso irá garantir que  toda a área será preenchida.

Não se esqueça de ir nivelando à medida em que vai subindo a construção. Para isso, use um nível e verifique horizontal e verticalmente a sua obra.

Em lareiras de metal pré-fabricada, a câmara de fumagem é praticamente imperceptível do restante da estrutura.

Faça a parte externa da chaminé e o condutor

Agora que você já fez toda a parte interna, é o momento de iniciar a construção da parte externa da sua chaminé que deverá ficar localizada no telhado da sua morada.

O condutor é a parte responsável por conectar o topo da câmara de fumagem ao teto pelo meio da chaminé. Esse ‘caminho’ poderá ser feito de argila ou azulejos de cerâmica e deverão ser dispostos no exterior da estrutura no período da montagem.

Agora é o momento de você ‘selar’ a sua chaminé nos pontos em que ela toca na parede. Para isso, use juntas no entorno da chaminé (onde ela toca o teto) e abaixo da sua tampa. Os materiais mais usados são calafetagem de silicone impermeável ou de poliuretano que são aplicados sob essas juntas de modo a evitar que a água entre na sua casa e danifique a sua construção.

Finalize a sua obra

Para terminar a sua chaminé, você deverá tampá-la. Para isso, providencie uma tampa específica que seja capaz de se estender em relação à estrutura em si em pelo menos 5 centímetros e ter uma angulação tal que seja capaz de afastar a água da chuva. A tampa deverá ser instalada sobre o topo do condutor.

 

What do you think of this post?
  • Sucks (0)
  • Boring (0)
  • Useful (0)
  • Interesting (0)
  • Awesome (0)

Tudo Aquilo Que Precisa de Saber Sobre Prateleiras

Posted by Catalina Daisy on Maio 21, 2016 with No Comments

As prateleiras são muito úteis na decoração da casa, sendo menos espaçosas do que uma estante, elas funcionam perfeitamente na hora de dispormos da organização de vários itens. Elas podem ser colocadas em corredores, paredes e por cima de móveis como cabeceiras de camas e sofás.

As prateleiras também podem ser utilizadas para garantir um efeito decorativo diferente, como alongar uma parede estreita ou fazê-la parecer menos alta.

Escolhendo o material da sua prateleira

Antes de iniciar a montagem de uma prateleira, é fundamental que você escolha pelo modelo mais adequado, que esteja de acordo com o restante da sua decoração e que seja capaz de suportar o peso dos materiais que você irá depositar nelas. Veja alguns tipos de prateleiras:

Prateleiras utilitárias

Prateleiras utilitarias

Madeira maciça: em geral são feitas em pinho ou abeto sem nós e possuem uma variedade de essências, como faia, bétula, carvalho, bambu, entre outros. Este tipo de prateleira possui mais opções de acabamento, como versões patinadas chocolate, castanho e cinzento cimento. As espessuras podem variar entre 18 a 34 mm e, a depender do modelo, podem ter comprimentos de 145, 150, 200 e 250 cm. Elas são muito usadas em salas de estar, em roupeiros abertos e também no hall de entrada.
Standards: são feitas em madeira lamelada colada bruta, geralmente em carvalho, abeto ou pinho. Possuem espessura de 18mm e comprimento de 200 cm. Este é um modelo bem econômico, além de serem fáceis de cortar e manejar. Elas são muito usadas em subsolos, caves, garagens, celeiros e outros.
Melaminado: é produzida em aglomerado melaminado e por isso são as opções mais econômicas. Possuem comprimento de 200 ou 250 cm e espessura de 16 ou 18mm. Em geral são encontradas na cor branca, mas também existem opções com acabamentos lacados, brilhantes, que imitam madeira ou outros materiais, como alumínio e betão. Todas são muito resistentes e de fácil manutenção.
Pré-fabricadas: em geral são partes conjuntas feitas para prateleiras ajustáveis. As instruções de montagem vêm junto da peça e devem ser seguidas de acordo.
De tábuas sarrafeadas: são um pouco mais resistentes que o melaminado e conseguem suportar itens mais pesados, como ferramentas e eletroportáteis.

Prateleiras decorativasPrateleiras decorativas

MDF lacado: é feito a partir de finas partículas de madeira que são misturadas à uma resina sintética e prensada quente. Possuem muitas opções de cores e, em geral, têm espessura de 18 mm e comprimentos de 25 a 90 cm.
Madeira: possui uma ampla gama de essências, como abeto, bambu, carvalho, pinho com ou sem nós, cerusa, teca e outros. O comprimento pode variar entre 25 a 120 cm e a espessura é de 18mm. Também existem opções de prateleiras em madeira placada com espessura de 38mm.
Metal: é feita em alumínio, aço inoxidável ou aço cromado e, em geral, possui as extremidades dobradas para baixo, o que torna o material ainda mais rígido. A espessura é de 18mm e os comprimentos podem variar entre 60 e 120cm. Elas podem se apresentar em vários tipos de modelos, como quadradas, retangulares, triangulares e outros.
Vidro temperado: podem ser usados, sem riscos, em todos os ambientes, porque são feitos de materiais resistentes e que não geram cacos. Possuem muitas opções de cores, comprimento e espessura.

Definindo o tipo de fixações

As fixações são importantes por manterem a sua prateleira presa à parede e também por ajudarem a dar um acabamento mais bonito e decorativo ao ambiente.
Terminais: são peças metálicas que funcionam enfiadas nas extremidades de uma prateleira, de modo a revestir, de maneira simétrica, as laterais da prateleira. Servem, também, para fixar o conjunto à parede.
Invisíveis: são apresentadas na forma de uma ou de várias placas metálicas soldadas com duas hastes perpendiculares. Para serem presas à parede, elas são aparafusadas com buchas na horizontal, de modo a ficarem invisíveis.
Consola: são simples de usar e funcionam bem em uma variedade de prateleiras. Algumas podem ser decoradas e ajudar a valorizar a sua decoração.

Como montar uma prateleira sobre consola

Este é um dos modos mais simples de se montar uma prateleira. Antes de iniciar, contudo, é muito importante verificar alguns se, pela parede escolhida, não passam cabos eléctricos ou canalizações de água ou gás, para ter a certeza de estar a realizar um serviço em segurança.
Em seguida, verifique a horizontalidade da prateleira e marque na parede as orientações. Para se certificar de que a mesma está correta, use uma régua sobre um nível de bolha e, quando encontrar a horizontalidade, trace uma linha que corresponderá a parte inferior do painel.
Então, é chegado o momento de colocar as consolas. Fique atento para não coloca-las demasiado próximas das extremidades do painel, uma vez que a prateleira pode acabar por flexionar com o peso dos objetos.
Caso deseje aumentar a resistência das prateleiras, ou vá dispô-las para objetos pesados, fixe duas ripas ao painel com cola e parafuso, de modo a evitar a flexão.
Comece a furar a parede. Mas, antes, use um lápis para demarcar o local exato dos parafusos, assim que posicionar as consolas na vertical do painel.
Depois, posicione o berbequim nos locais indicados e perfure a parede a cerca de 45mm, usando uma broca de tungstênio.
Assim que parafusar, coloque as buchas de expansão nos furos, escolhendo buchas adequadas ao tipo de parede e a carga que deverá ser suportada pela prateleira. Por fim, aparafuse as consolas à parede. Uma boa maneira de notar se está a usar a bucha correta é, caso perceba que a mesma comece a rodar. Neste caso, deverá usar uma bucha de tamanho maior.
Finalize aparafusando as consolas ao painel. Este é um passo importante, pois evita riscos de inclinação. Antes de realizar esse procedimento, recomendamos que você coloque o painel sobre as consolas e marque o local dos furos com um lápis de carvão.
Em seguida, retire o painel e utilize uma punção de modo a fazer um pré-furo para os parafusos. Então, volte a colocar o painel sobre as consolas e, finalmente, aparafuse.

What do you think of this post?
  • Sucks (0)
  • Boring (0)
  • Useful (0)
  • Interesting (0)
  • Awesome (0)

Quadros na parede – Minuto Decoração

Posted by Catalina Daisy on Outubro 3, 2014 with No Comments

What do you think of this post?Sucks (0)Boring (0)Useful (0)Interesting (0)Awesome (0)

What do you think of this post?
  • Sucks (0)
  • Boring (0)
  • Useful (0)
  • Interesting (0)
  • Awesome (0)